Cap 01– Josué morreu, ora inicia outro tempo, perguntaram ao Senhor quais das tribos que começaria atacar os inimigos para conquistar a terra, foi designada Judá que convidou a Simeão para lutarem juntos. O Senhor concedeu a vitória sobre os cananeus e perizeus, mataram 10 mil homens, o rei Adoni Zedeque fugiu e foi capturado, cortaram-no os dedos das mãos e dos pés, o rei declarou que foi uma retribuição do Senhor pelos 70 reis que subjugou em guerra, morreu em Jerusalém que Judá venceu, matou todos os habitantes e colocou fogo. Judá conquistou também Hebrom vencendo Sesai, Aimã e Talmai, e Debir que foi intermédio de Otoniel seu sobrinho que casou com a sua prima Acsa, que recebeu a terra do Neguebe que eram secas, e que pediu outro campo com fontes de águas. Os queneus acompanhavam Judá e habitaram no deserto sul de Arade. Simeão venceu os cananeus de Zefate com ajuda de Judá, chamou Hormá. Judá conquistou Gaza, Ascalom e Ecrom. Aconteceu que alguns povos não foram expulsos da terra de Canaã pelos filhos de Israel. Moradores do vale Judá não expulsou tinham carros de ferro. Benjamim não expulsou os jebuseus de Jerusalém. A casa de José conquistou Betel, onde espias tiveram ajuda de um homem que foi poupada junta da família, que saiu para os hititas e fundou a cidade de Luz. Manassés não expulsou os cananeus de Bete-Seã, Taanaque, Dor, Ibleão, Megido e dos seus arredores, porém, Israel fortalecido tornou-os seus tributários. Efraim não expulsou os cananeus de Gezer, Zebulom não expulsou os cananeus Quitrom e Naalol, Aser não expulsou os habitantes de Aco, Sidom, Alabe, Aczibe, Helba, Afeque e Reobe, Naftali não expulsou os habitantes de Bete-Semes e de Bete-Anate mas subjugaram como tributários, Dã foi obrigado a ficar nas montanhas por causa dos Amorreus. Os Amorreus se tornaram tributários na casa de José nas montanhas de Heres, em Aijalom e em Saalbim.

Cap 02 – (1-5): O anjo do Senhor se manifestou e repreendeu a Israel, por causa da desobediência a voz do Senhor, aliança que quebraram e se uniram com os povos cananeus e não os expulsaram, por isso, seriam como espinhos para as sua costas e seus deuses como laços. O povo chorou em Boquim e sacrificou ao Senhor. (6-9): Essa geração serviu ao Senhor enquanto José estava vivo e aos anciões que viveram após Josué. (10-15): Surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e os seus feitos. Por isso, invalidaram sua aliança e serviram outros deuses, com Baal e Astarote. Israel saiu para guerra era derrota e saqueada, pois a ira do Senhor era contra eles, ficavam angustiados e aflitos. (16-23): O Senhor levantou os juízes para livrá-los dos opressores, porém enquanto os juízes viviam voltavam ao Senhor, mas quando morriam, recendiam aos seus caminhos corruptos, práticas abomináveis e adorações aos outros deuses. Então, os povos permaneceram para coloca-los a prova, portanto não houve a conquista total no tempo de Josué, a fim de saber que serviria ao Senhor.

Cap 03 – (1-6): Várias nações estrangeiras ficaram para que a nova geração de Israel fosse colocada à prova para obedecer ao Senhor e ainda aprender pela guerra. Porém, fizeram casamentos mistos e serviram seus deuses. (7-11): Israel fez o que era mal aos olhos do Senhor, foram conquistados pelo Cusã Risataim rei de Arã-Naarim por 8 anos, logo, levantou Otoniel como juiz e Espírito do Senhor veio e derrotou-o e durante 40 anos houve paz até a morte de Otoniel. (12-31): Israel voltou a pecar, por isso, caiu nas mãos do rei Eglom de Moabe, onde Israel ficou 18 anos na escravidão. O povo clamou ao Senhor que levantou a Eúde de Benjamim, que quando foi pagar o tributo ao rei, o matou. Assim, Israel veio, venceu, ficou livre e viveu 80 anos de paz. Outro juiz foi Sangar que certa vez matou 600 filisteus com um ferrão de conduzir bois.

Cap 04– Jarim rei cananeu de Hazor escravizou Israel durante 20 anos. Sísera comandante do exército de Jarim tinha 900 carros com roda de ferro, morto por Jael esposa de Heber o queneu, através de uma estaca que perfurou o seu crânio. Baraque comandante de Israel convocou 10.000 soldados de Naftali e Zebulom, pois o Senhor entregou os inimigos em sua mão, porém, a honra foi dada para uma mulher. Débora era profetisa que julgava Israel, por meio dela comunicou a vitória do Senhor para Baraque, e por sua insegurança a chamou Débora para que fosse nesse combate. Por isso, Jarim foi derrotado por Israel completamente. A consequência desse sofrimento foi o mal que os israelitas fizeram aos olhos do Senhor. O nome Débora significa abelha, mas a raiz é do termo palavra. Pois a palavra é doce como mel (Ap 10:9-10 cf Ez 3:3). Baraque significa relâmpago, indica a vinda futura do filho do homem como relâmpago (Mt 24:27). (Jz 4:12-16): A estrutura desses versos são reveladores, profetizou a vitória de Baraque sobre Sísera, JESUS sobre Satanás(2 Ts 2:8), com a expressão porque este é o dia (Zc 14:7,Jl 2:11).

Cap 05 – Débora compôs uma poesia para cantar ao Senhor. O povo se corrompeu, por causa da morte de Sangar o juiz, deixaram de ouvir, desobedeceram e caíram nas mãos dos inimigos, Jarim o rei cananeu e o seu comandante Sísera. Mas, o Senhor levantou Débora como mãe de Israel para livrá-los. Por meio de uma convocação das tribos: Efraim, Issacar, Benjamim, Zebulom e Naftali, não vieram Aser, Rúben e Gileade (Gade). O Senhor se manifestou que abalou a natureza, os poderes do céu vieram para pelejar contra o inimigo em Taanaque junto das águas do Megido, onde o ribeiro de Quisom arrastou-os. Ordenou o Anjo do Senhor que amaldiçoasse Meroz. Através de Jael que com martelo traspassou a cabeça de Sísera. Os heróis voltam para o acampamento, mas a casa de Sísera soube que não havia despojos e que encerrava sua vida na terra. O Senhor deu vitória sobre os inimigos e o que amam nasceria o sol como força. Houve 40 anos de sossego na terra.

Cap 06 – Houve a união de três povos: Midianitas, Amalequitas e edomitas que dominaram 7 anos sobre Israel, foram implacáveis era muitíssimo como enxame de gafanhotos que consumiam suas riquezas e comida, onde empobreceram e escondia nas montanhas. O povo clamou ao Senhor que enviou o profeta que fez que se lembrasse da retirada do Egito, da aliança para tê-lo como único e não buscassem outros deuses. O anjo do Senhor se manifestou a Gideão no carvalho de Ofra, estava moendo trigo no lagar com medo, o Senhor falou estava com ele era forte guerreiro e que Israel seria livre por ele, estava o enviando. No entanto, questionou falando da sua pobreza e pequenez da sua tribo Manassés, porque estavam escravizados e ouviam sobre os feitos do Senhor. Por isso, o Senhor afirmou que venceria como um só homem, então, pediu um sinal se tivesse achado graça, falou que permanecesse ali. Preparou um cabrito, pães sem fermento e foi oferecê-lo, o anjo pediu que colocasse na pedra, tocou com a vara e o fogo consumiu, então desapareceu. Gideão disse: vou morrer e viu o Senhor face a face. O Senhor falou não temas e fique em paz, em razão disso, edificou um altar, chamou-o: Adonay Shalom. Gideão destruiu o altar de Baal e o bosque de Aserá, edificou um altar ao Senhor, o povo foi matar Gideão, porém, o seu pai defendeu e ainda afirmou que baal fosse deus se defenderia. O Espírito do Senhor revestiu Gideão tocou o chifre carneiro para convocar o povo para guerra contra os inimigos que estavam em Jezireel. Gideão fez duas provas com o Senhor com o novilho de lã, a fim de saber se o Senhor realizaria por ele o livramento a Israel.

Cap 07 – O povo se reuniu em 32.000 homens na fonte de Harode ao norte do acampamento dos Midianitas. O Senhor fez uma seleção em duas etapas: primeiro homens medrosos e temerosos; segundo homens que curvaram para beber água e outros que ficaram em pé. Logo, sobraram 300 homens, a fim de que o povo não vangloriasse em si mesmo nessa vitória. O exercito do inimigo era 120.000 que parecia como enxame gafanhotos e seus camelos como areia do mar. Por isso, o Senhor ordenou que Gideão descesse ao arraial, para que não tivesse nenhum receio, pois, já tinha dado os inimigos em sua mão. No arraial ouviu que dois homens conversavam, então, contou um sonho que um pão de cevado rolou e destruiu a tenda. Logo, outro falou que o Senhor tinha dado a Gideão filho de Joás a vitória sobre os Midianitas. Voltou para o seu acampamento, organizou três grupos de cem, que tinham chifres de carneiros, tochas e vasos vazios. A ordem que todos estivessem diante do acampamento do inimigo, no mesmo instante, tocassem os chifres e quebrassem os vasos, assim fizeram, o inimigo correu, gritou e fugiu; porque o Senhor fez que lutasse entre si. Convocou Naftali, Aser e Manassés para perseguirem os midianitas, os Efraimitas tomaram as águas em Bete Bara e capturam e mataram Orebe e Zeebe, um na pedra e outro na prensa.

Cap 08 – Os Efraimitas discutiram com Gideão, pelo fato que não foram chamadas para peleja. Mas, Gideão humildemente reconheceu que eram maiores, superiores e que a sua família e os seus atos não se comparavam a Efraim, logo, os acalmou. Gideão com os seus 300 perseguiriam os reis midianitas Zeba e Salmuna, pois estavam cansados e com fome, porém, os habitantes de Sucote e Penuel os desprezaram e não acreditaram em sua missão, portanto prometeu destruí-los. Quando capturou os reis em Carcor, tinha 15.000 soldados, subiram e feriram quando julgava que estavam seguros. Gideão capturou um jovem de Sucote que relatou que eram 77 líderes, os quais foram presos, os corrigiu com espinhos e abrolhos por sua descrença e destruiu a torre e mataram a todos. Gideão interrogou aos reis a respeito das pessoas que mataram em Tabor, descobriu que eram os seus irmãos, por isso, mandou que o seu filho Jeter os matasse, mas temia, pois era novo, mas Gideão os matou. Israel pediu a Gideão e sua geração para dominá-los para salvá-los, mas falou que o Senhor que vai dominá-los. Gideão pediu despojos de guerra, fez uma éfode, colocou em sua cidade e Israel prostituiu, foi tropeço para sua casa. Duraram 40 anos de sossego para Israel. Gideão teve 70 filhos, um deles é Abimeleque filho de uma concubina de Siquém. Gideão morreu, sepultado em Ofra, mas Israel prostituiu com Baal Berite, e esqueceu a casa de Gideão e sua beneficência.

Cap 09 – Abimeleque seduziu em Siquém aos homens para mataram os seus 70 irmãos, mas Jotão o mais novo fugiu. Então, Abimeleque dominou sobre Israel durante três anos, em desacordo com a vontade do Senhor, que era o Rei sobre Israel. Jotão proferiu uma maldição sobre Gerizim, por meio da parábola das árvores. A oliveira, a figueira e a videira não aceitaram ser rei, mas o espinheiro aceitou, e falou que recusasse seria queimados os cedros. Então, falava da maldade de Abimeleque, do Siquemitas e ainda da retribuição que receberiam pelos males feitos. Por isso, o Senhor enviou o espírito mal sobre os moradores de Israel, então, Gael levantou contra Abimeleque, por isso, houve uma rebelião, que Gael foi expulso, mas o povo estava contra Abimeleque e logo matou siquemitas, até que uma mulher lançou uma pedra de moinho na cabeça de Abimeleque, que pediu para ser traspassada pela espada de seu pajem por causa desse vexame.

Cap 10 – Depois da morte de Abimeleque, ergueu como juiz Tola, filho de Pua e neto de Dodo da tribo de Issacar. Julgou 23 anos em Israel, morreu e foi sepultado em Samir onde morava. Então, levantou a Jair o gileadita como juiz que julgou 22 anos, quando morreu foi sepultado em Camom; e tinha 30 filhos que andava 30 jumentas e possuíam 30 cidades que chamava Havote Jair em Gileade. Israel pecou contra o Senhor e fez o que era mau aos seus olhos, serviram os deuses de outros povos. Por isso, o Senhor irritou contra Israel e entregou nas mãos dos Amomitas e dos Filisteus. Foram 18 anos de opressão sobre Israel, chegaram até Gileade, também os Amomitas afligiram a Judá, Benjamim e Efraim. Então, clamaram ao Senhor, confessaram o seu pecado, porém, o Senhor falou que clamassem aos outros deuses que escolheram para livrá-los. Mas, Israel pediu o Senhor que livrasse outra vez, com efeito, lançaram fora outros deuses e serviram o Senhor que compadeceu da desgraça do povo. Amomitas se acamparam em Gileade, Israel em Mizpá. O povo e os príncipes perguntaram quem iria guerrear por eles e seria o chefe deles.

Cap 11 – Jefté filho bastardo de Gileade concebido por uma prostituta. Foi expulso pelos seus irmãos para não receber herança paterna. Jefté se tornou um guerreiro e chefe de levianos em Tobe. Os anciões debaixo das ameaças de Amom foram até Jefté, para que tornasse chefe deles e lutasse contra o inimigo. Jefté desabafou a rejeição que recebeu deles, mas, que por juramento das autoridades diante de Mizpá firmasse diante o Senhor essa promessa. Jefté enviou mensageiros até o Rei de Amom, a fim de que amigavelmente resolvessem a situação dessa invasão militar. Explicou que a terra não é deles, mas de Israel, porque o Senhor não lutou com os parentes de Abraão e deu a terra dos Amorreus para Israel além do Jordão. Então, Israel é o legítimo dono, pois o Senhor concedeu, conforme Quemos daria aos Amomitas. Houve um período de 300 anos que deveriam ter reconquistado e não fizeram. Jefté falou que não pecou contra Amom, o Senhor julgaria entre os 2 povos, o rei não ouviu. O Espírito veio sobre Jefté que fez um voto, que consistiu vencendo o inimigo e voltasse em paz, oferecia em holocausto o que sairia diante dele no seu retorno. Então, o Senhor entregou o seu inimigo com grande mortandade Aroer e Minite em 20 cidades até Abel Queramim. A filha única de Jefté saiu dançando com pandeiro, então, rasgou sua veste, expôs sua angústia, dor, tristeza, pois, não voltaria o seu voto. A filha não relutou, pediu apenas 2 meses para lamentar sua virgindade nos montes com sua companheiras. Voltou, Jefté cumpriu o voto, ficou um costume anualmente em 4 dias para lamentar pela sua filha.

Cap 12 – Os Efraimitas contenderam contra Jefté porque não chamaram para pelejar contra os inimigos, propuseram queimar a sua casa. Jefté falou que os convocou e não conseguiram livrá-los, por isso, arriscou a sua vida e venceu, não deixou de revidar, ajuntou os gileaditas para combater contra os efraimitas, que perseguiram até o Jordão, fugitivos falavam xibolete e não chibolete eram degolados, caíram 42.000 efraimitas. Jefté julgou 6 anos, morreu e sepultou em Gileade. Ibzã julgou sete anos em Belém. Elom zebulonita julgou 10 anos, foi sepultado em Aijalom. Abdom julgou 8 anos, faleceu e sepultou Piratom em Efraim.

Cap 13 – Israel fez o que era mal aos olhos do Senhor e ficou dominado por 40 anos pelos Filisteus. A esposa de Manoá era estéril, apareceu o anjo do Senhor que falou que teria um filho que seria nazireu, por meio dele o Senhor iniciaria a salvação ao seu povo. Manoá quando ouviu, orou para que o Senhor trouxesse esse homem enigmático, com a aparência angelical e que não sabia o seu nome. Em virtude disso, o anjo do Senhor apareceu a sua esposa no campo, logo, ela saiu para buscar o seu marido. Manoá perguntou ao anjo as orientações para a criança que nasceria, pois, repetiu as mesmas palavras. O seu desejo foi preparar um cabrito, porém, afirmou que não comeria, mas que oferecesse ao Senhor. Por isso, Manoá queria saber o seu nome para honrá-lo, porém, o anjo falou que era maravilhoso. Quando ofereceram na pedra o cabrito e os manjares, o anjo maravilhosamente agiu diante dele, subiu com o fogo. Logo, se prostraram no chão, entenderam que era o anjo do Senhor. Manoá com medo de morrer por ter visto o Senhor. Sua esposa falou que não morreria, por causa do propósito revelado e as ofertas aceitas. Então, nasceu Sansão que crescia e era abençoado, até que o Espírito do Senhor impelia no campo de Dã.

Cap 14 – Sansão agradou de uma mulher filisteia que era de Timna, logo, pediu que seus pais formalizasse a sua união. Houve desaprovação dos pais, por causa do casamento misto proibido, mas não sabia que vinha do Senhor para criar uma ocasião contra os Filisteus. Sansão descendo para Timna nas vinhas, um leão veio, o Espírito do Senhor apossou dele, logo, rasgou-o como um cabrito. A moça filisteia consentiu com o casamento. Noutro momento, o leão morto tinha uma colmeia dentro de si, pois Sansão tomou o mel e comeu, dando os seus pais, não falou da origem desse fato. Sansão fez uma festa como era de costume, os seus pais escolheram trinta moços para participar. Sansão propôs um enigma que foi: a comida saiu do comedor, forte saiu doçura. O prêmio era 30 lençóis e 30 vestes, quem perdesse pagaria para outro. Durante 3 dias não tinha a resposta, no sétimo ameaçaram a noiva e sua casa para incendiá-las. A noiva insistiu com Sansão até que falasse, por isso, responderam, Sansão desceu aos Asquelonitas os matou, deu-os as vestes e lençóis aos ganhadores. Sansão estava irritado subiu na casa do seu pai, a sua esposa foi dada para outro homem.

Cap 15 – Sansão voltou para sua esposa, não pode entrar no quarto, pois, soube que foi dado a outro homem. O seu sogro achava que o seu genro estava odiando a sua família. Sansão pegou 300 raposas amarradas em pares pelos rabos que levava tochas, entraram e incendiaram as searas, vinhas e olivais. Por isso, os homens de Timna revoltados queimaram a casa de Timna. Sansão ficou irritado, os matou e fugiu para rocha de Etã. Portanto, os filisteus desceram até Leí, rodearam com objetivo de ataca-los, a fim de que prendesse Sansão, ao saber os homens de Judá, subiram com 3.000 até rocha de Etã para trazer Sansão aos filisteus. Sansão foi amarrado, não foi morto pelos seus irmãos, mas, o Espírito do Senhor apossou dele, como cordas finas foram rompidos. Então, achou uma queixada de jumento e matou com ela 1.000 filisteus. Sansão ficou com sede e clamou ao Senhor, não queria morrer, pois o Senhor fendeu as águas e bebeu, chamou a fonte do que clama. Sansão julgou 20 anos em Israel.

Cap 16 – Sansão passou a noite em Gaza com uma prostituta, logo, os homens souberam e preparam uma cilada ao amanhecer, porém, a meia noite despertou, arrancou o portão inteiro e levou para o cume do monte diante de Hebrom. Sansão se apaixonou por Dalila de Soroque, então, os príncipes filisteus ofereceram 13 quilos de prata para que descobrisse o segredo da força de seu amante e que pudesse prendê-lo. Dalila amarrou com sete cordas de arcos frescos, outra vez em cordas novas, depois teceu sete tranças no cabelo com liços de teia. Todas as tentativas foram frustradas, Sansão levantava com força, pois Dalila anunciava que os filisteus viam. Mas, Dalila falou que ele tinha a feito de boba, e que não amava. Atormentou por vários dias, até que Sansão falou de todo o coração, contou o seu voto nazireu. Dormiu no seu colo, rapou o cabelo, os filisteus vieram, arrancaram os seus olhos, levaram para Gaza e prenderam com correntes de bronze e na prisão trabalhou na moinha. Os filisteus fizeram uma festa, comemoraram e sacrificavam a Dagom, o motivo que Sansão foi derrotado. Por isso, Sansão foi levado para ser zombado na festa. Sansão clamou ao Senhor para vingar dos adversários, foi conduzido até duas colunas, as quais derrubou o templo, ele morreu com muitos filisteus. Levaram Sansão para Zora e Estaol, foi sepultado no túmulo de Manoá.

Cap 17 – O homem chamado Mica (Quem é como o Senhor) era efraimita, roubou treze quilos de prata da sua mãe (Pv 28:24), a qual tinha amaldiçoado o ladrão(Pv 26:2; 18:21, Tg 3:9-10). Logo, se arrependeu e confessou (I Jo 1:9), para resolver o problema à prata foi consagrado ao Senhor, mas, Mica fez uma imagem de escultura de prata de fundição (2, 400 kg – Lv 19:4 cf Ex 20:3-5), ainda edificou um templo (Lv 26:2), fez um manto e colocou o seu filho para ser sacerdote (Nm 8:19). Não havia rei em Israel, logo, todos faziam o que era certo aos seus olhos (v6). O jovem levita veio de Belém de Judá buscando um lugar para habitar. Mica propôs ao levita que ficasse para ser sacerdote sobre a sua casa, como efeito, pagaria dez moedas de prata, sustentaria e vestira. Em virtude disso, o levita consistiu, logo, foi consagrado como sacerdote e permaneceu na casa de Mica. Mica pensou que o Senhor faria bem por causa do levita como sacerdote.

Cap 18 – Os danitas enviaram cinco guerreiros para espionar uma terra para herança. Quando chegaram à casa de Mica reconheceram o levita, na conversa contou-lhe que era sacerdote, por isso, pediram para consultar ao Senhor sobre a viagem, a resposta que podiam ir em paz. Então em Laís foi observado que o povo era tranquilo, seguro, próspero, despreocupados e era uma terra boa. No retorno para Zora e Estaol, relataram favoravelmente, em virtude disso, separaram seiscentos homens para a conquista da terra. Na viagem pararam Quiriate Jearim que era 13 km da sua origem, chamaram Maané Dã. Ao chegar aos montes de Efraim, os cinco contaram sobre a imagem, o ídolo de metal, manto, ídolos da família e o sacerdote, então, entraram na casa de Mica, levaram tudo e chamaram o levita para ser sacerdote de uma tribo e não de uma casa, logo, isso agradou, aceitou e foi junto deles. Quando Mica soube de tudo, convocou pessoas para reaver tudo, porém, os danitas recusaram e ameaçaram todos à morte, por isso, voltaram. Os danitas conquistaram Laís, mataram a todos, reconstruíram a cidade e chamaram de Dã. Então, ergueram a imagem de escultura, Jônatas filho de Gerson, filho de Manassés, e sua descendência foram sacerdotes até o cativeiro. A imagem de escultura ficou até que o santuário permaneceu em Siló.

Cap 19 – Certo levita tomou uma concubina de Belém de Judá. A concubina prostitui contra o levita, foi para a casa de seu pai e ela ficou quatro meses. O levita foi atrás dela para convencê-la, com um servo e dois jumentos, quando encontrou o seu sogro, o mesmo persuadiu há ficar alguns dias. No quinto dia foram embora, parariam para pousar em Jebus, nesse caso era estrangeira, preferiram ir para Gibeá de Benjamim. Estavam na praça e escurecendo, ninguém os hospedaram. O homem idoso da terra de Efraim que morava ali, os viu, conversou com eles, por isso, os convidou para que passasse á noite em sua casa, recebesse seus cuidados e evitasse o perigo dos moradores. Porém, homens maus cercaram a casa, bateram a porta e pediram para abusar do levita. O idoso desesperou, não queria nenhum mal sobre o levita, ofereceu a filha virgem e a concubina no lugar do levita, falou que não cometesse essa loucura. Os homens maus não deram atenção, a concubina foi levada, abusada sexualmente até o amanhecer. No outro dia, o levita a encontrou morto na porta com as mãos no limiar, a colocou no jumento e foi para casa. Tomou um cutelo, cortou em doze pedaços e ele enviou as doze tribos. Todos ficaram espantados, nunca tinha visto isto acontecer desde saída do Egito, perguntou qual é o conselho e a palavra para essa situação.

Cap 20 – Os filhos de Israel se reuniram em Mispá como um só homem, tinham quatrocentos mil homens de guerra. Levantaram autoridades para ouvir o levita sobre o mal ocorrido. A decisão que tomaram foi enviar homens à tribo de Benjamim em Gibeá para saber o porquê deste mal e ainda que entregasse esses homens perversos para morrerem. No entanto, não quiseram ouvir e levantaram vinte seis mil homens de guerra contra Israel e setecentos eram canhotos que atiravam com funda de pedra sem errar. Israel consultou em Betel quem subiria primeiro, Judá foi escolhido, porém, Benjamim feriu vinte de dois mil de Israel. Houve tristeza, choraram e consultaram novamente ao Senhor, no combate Benjamim feriu dezoito mil de Israel. Pela terceira vez, subiram em Betel, choraram, jejuaram e sacrificaram e consultaram ao Senhor que falou que venceriam a Benjamim. Os israelitas fizeram uma armadilha que retirou os guerreiros de Benjamim para fora de Gibea, logo, se gabaram, pois mataram 30 soldados, porém, no sinal de fumaça, o exército de Israel atacou a cidade e destruiu tudo e a queimou, mataram vinte e cinco mil guerreiros, e seiscentos valentes fugiram para Rocha de Rimon e ficaram quatro meses.

Cap 21 – Os filhos de Israel em Mispá fizeram um juramento, que não daria as suas filhas para os Benjamitas. Em Betel lamentaram diante do Senhor, o motivo daquele mal e a brecha que havia entre eles, faltando uma tribo. No altar ofereceram holocaustos e ofertas pacíficas. Houve outro juramento que seria morta a tribo que não subisse para guerra, então, a cidade de Jabes Gileade foi destruída sendo enviados doze mil homens de Israel, que pouparam apenas quatrocentas moças virgens, as quais seriam entregues como esposas para os Benjamitas. Não foram suficientes as mulheres, então, para que ninguém fosse amaldiçoado pelo juramento, haveria uma celebração anual em Siló, aonde os Benjamitas viriam e tomariam aquelas mulheres como esposas, a explicação se os parentes viessem questionar, explicaria que seria por causa da misericórdia. Tudo isso, foi ocasionado pelo fato de não ter rei e fazia tudo que parecia certo.

Pr. Roberto Soares

Compartilhe